Domingo, 8 de Junho de 2008

[55] Ainda vagueando...

O meu computador só me dá chatices. Hoje, para variar, não me deixa escolher nem o tipo nem o tamanho das letras. Mesmo assim vou continuar. Sairá como calhar.

 

O "Ainda" do título tem um motivo. É que pensava retomar a série "Ainda sobre o Dharma...". Para isso gastei uma boa parte do dia a reler (é mais fácil, já estão anotados) e a ler novos textos búdicos, para escolher citações que fossem apropriadas. Mas é difícil. Li muita coisa que me interessou (ou já me tinha interessado), mas daí a ser adequado para citar aqui vai uma grande distância. Devo ter escolhido mal os livros. Talvez tenha que ir procurar os que consultei no início da minha "busca". Mas como já se passaram uns bons anos, é capaz de não ser fácil.

 

Quanto ao "vagueando", o anterior saíu-me caro. Ontem estive tão zonzo que nem sequer escrevi aqui. De modo que deitei-me cedo (o que é muito raro) -- mas hoje levantei-me também cedo (o que é ainda mais raro...). Aproveitei para pôr em dia algumas respostas a comentários e fazer mais alguns deles. Além das leituras que já referi. Se calhar devia fazer isto (o levantar cedo) mais vezes.

 

Quem anda contentíssimo com a política (americana) é o meu filho, que é um obamista convicto (resultado de viver 22 anos em New York). O "Público" de 6 de Março até, a esse propósito, lhe dedicou a capa e duas páginas do Suplemento (com honras de chamada na 1ª página do jornal). Eu tenho andado um bocado mais partilhado entre a minha costela anti-racista e a minha costela feminista. Mas Hillary ter ido às primárias já é muito importante. Vamos agora ver quem é que Obama escolhe para Vice-Presidente.

 

Por falar no meu filho e em política, e por passarem os 50 anos sobre as eleições de 1958, o meu filho, que está a trabalhar com o neto-biógrafo do General num projecto cinematográfico, encontrou, no material de arquivo, uma fotografia minha a distribuir votos para o candidato Delgado no dia das eleições (também as coloquei, noutros dias, em caixas do correio, mas aí era mais discreto). Estava. com o carro do meu pai, a 100 metros dum local de voto (para quem não saiba, eram os eleitores que tinham de levar o boletim do candidato), com um grande cartaz, a dar votos às pessoas que os queriam e não os tinham.

Não vejo quem possa ter tirado essa fotografia a não ser a PIDE. Vá lá que, nesse dia, não fui lá parar. O mais longe que a polícia fez, foi levar-me até á esquadra da PSP mais próxima, onde tiveram que render-se à evidência, depois de uns telefonemas, de que eu estava dentro da legalidade. E lá tiveram que deixar-me voltar à minha distribuição.

 

E, por hoje, chega.

 

publicado por Transdisciplinar às 19:41
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Sábado, 7 de Junho de 2008

[54] Vagueando...

São quase 4 horas da manhã e continuo renitente em deitar-me. Embora tenha passado o dia cansado (nem sequer me estendi um pouco de tarde, porque era dia de estar cá a empregada e não gosto de ela me ver deitado). Gastei uma boa parte do tempo no computador. Meteu-se-me na cabeça responder ao political compass (Olá Sofia, a culpa é sua...) e não conseguia publicar o gráfico. Tentei tudo o que me tinham ensinado já, tentei todas as ajudas possíveis (SAPO, MEO, HP, System Care -- por um motivo ou outro todos se baldaram) até que em desespero de causa, recorri ao amigo do meu filho que me tinha reconfigurado o computador quando foi necessário fazê-lo. A solução, afinal, era tratar o gráfico como se fosse uma fotografia. E lá acabou por sair o post [53].

 

Dou-me bem ideia de que estou chato como tudo. Mas também tenho direito, c'um diabo ! Já escrevi à séria, já escrevi à balda, também posso escrever à chato ! Sobretudo hoje em que (mesmo cansado) tive algum particular cuidado com algumas das coisas que fiz. Mas disso não quero falar...Bem sei que sou um desbocado (a respeito de mim próprio, não dos outros), mas há coisas que são mesmo só p'ra nós mesmos.

 

Logo agora, em que acabara de dizer que só tinha "amigas", recebo um comentário de um homem (que eu, em tempos, tinha comentado) que, pelos vistos, tem-me lido. Ainda não estamos na fase da "amizade", mas , ao que parece, quebrou-se o monopólio feminino. (o que já apanhei foi uma descompostura do meu filho, por eu não saber quem era um músico de jazz de que o dito senhor passou um vídeo...).

 

Lá se vai o respeito filial, porque para ele (que, em New York -- onde viveu 22 anos -- antes de se tornar realizador de cinema, foi músico "profissional" de jazz) eu continuo a ser um dos fundadores do Clube Universitário de Jazz (onde.de resto, a mãe dele e eu fizémos a nossa conjunta despedida de solteiros, isto antes de o C.U.J. ter sido fechado pela PIDE).

 

Histórias -- i. e. estórias...E nem sei para onde vou. Afinal a verdadeira balda é hoje ! Já nem sei o que escrevi e já não está na caixinha do "novo post", Vou fazer uma pré-visualização.

Já chega. É tarde (são quase 5 e meia e o estúpido do computador dá como hora de publicação as 3,49 que foi a hora a que comecei), E, sobretudo, há que ter em conta a paciência de quem nos lê (supondo que, com o aviso inicial, alguém a teve)

Até logo.

 

publicado por Transdisciplinar às 03:49
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.links

.tags

. todas as tags

.favorito

. [32] CULTURA COMBINATÓRI...

. [30] Conhecimento

. Ainda sobre o Dharma (2)

. Ainda sobre o Dharma

. Citando...

. FRAGMENTOS PARA UM DEBATE

. CULTURA COMBINATÓRIA (2)

. CULTURA COMBINATÓRIA (1)

.posts recentes

. [55] Ainda vagueando...

. [54] Vagueando...

blogs SAPO

.subscrever feeds