Sexta-feira, 12 de Setembro de 2008

[106} Noitada

Mais uma noitada. O dia foi estúpido, vingo-me na noite. Dou a mim próprio a autorização de não ter horas para me deitar e continuar a pé (modo de dizer : sentado ao computador) enquanto me der na real gana...

O grosso do dia também foi passado no computador, mas aí por "obrigação". Relativa -- podia ter mandado tudo às urtigas ! Mas estava em jogo uma questão de brio envolvendo o meu blog francês e, além disso, tornei a entrar numa das minhas "querelas" com o "bicho" : ou vencia ele ou vencia eu. (Acabei por vencer eu..., mas custou-me quase uma tarde.)

Devo acrescentar que as nossas relações estão muito mais calmas. Por um lado, porque começo a conhecê-lo melhor e já há muitas situações que resolvo sozinho, sem dificuldades de maior. Digamos que aprendi a dar-lhe a(s) volta(s). Por outro lado -- e é o mais importante -- porque perdi as preocupações, que a certa altura aqui descrevi, de estar dependente, "adicto", do computador. Continuo a usá-lo muito, mas faço-o de uma forma que já não sinto como obcessiva, compulsiva.

Utilizo-o, por vezes (poucas) por necessidade prática, mas a maior parte do tempo pelo prazer que retiro do meu funcionamento na blogosfera. As mais das vezes é com gosto que escrevo, que comento e sou comentado, que me ocupo da comunidade de que sou "administrador", que navego à procura de uma ínfima parte da infinidade de oportunidades que a Internet oferece, etc. etc..E tenho vindo a reconhecer que, neste momento, como "intelectual" (segundo me disseram, os mais novos usam este termo depreciativamente, enquanto que na minha geração era motivo de consideração) aposentado, o computador contribui positivamente para me manter mentalmente activo e interveniente.

Quanto à "dependência" de que a certa altura me queixei, tendo a vê-la agora como aquilo que Alberoni designa pelo termo enamoramento. Que pode ser violento quando surge, que pode conduzir a exageros, mas que está condenado a evoluir para formas mais "normais" de relacionamento. E, para mais, neste caso nem sequer se tratava do envolvimento entre duas pessoas (embora, por vezes, eu me referisse ao "bicho" quase como se de uma pessoa se tratasse, sobretudo quando vivia as situações como se se tratasse de lutas pelo poder...). E devo confessar que essa dimensão, ou faceta, de poder se mantém. Por exemplo, esta tarde, a certa altura o que estava em causa já nem era a possibilidade, que estava assegurada, de eu publicar um post, era saber se a minha inteligência era capaz ou não de vencer as "manias" do computador que persistia em não corresponder ao que eu o mandava fazer...

 

Do que já não me safo é das consequências de algumas das coisas que escrevi a propósito das minhas férias no Norte. Não disse nada que não sentisse, mas isso não me desculpa da má educaçao que foi tê-lo feito num sítio público como é um blog (dois, se contarmos com o francês -- que, inclusivamente, como agora verifico com os novos contadores de visitas por países, é mais lido por portugueses do que por franceses, embora não escrevam comentários...). Ora eu era tratado como um membro da família. E foi muito pouco polido da minha parte ter escrito o que escrevi. Ainda por cima foi estúpido (porque eu sabia que as outras pessoas também vão ver blogs...) e nem sequer os agradecimentos que exprimi sobre certos aspectos  chegam para compensar o tom e o teor desagradáveis de algumas das coisa que escrevi. Só espero ainda ter a possibilidade de uma explicaçâo franca com a mais importante das outras pessoas envolvidas. Compreenda-se que não entre agora em mais pormenores. Não vá eu ainda piorar as coisas.

 

E pronto. (Com um pouco de T.V. pelo meio) já é de manhã. E já é a altura de ir, de novo, abrir o mail, não vá entretanto ter chegado algum comentário matutino.

Até breve.

sinto-me: satisfeito
publicado por Transdisciplinar às 05:59
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.links

.tags

. todas as tags

.favorito

. [32] CULTURA COMBINATÓRI...

. [30] Conhecimento

. Ainda sobre o Dharma (2)

. Ainda sobre o Dharma

. Citando...

. FRAGMENTOS PARA UM DEBATE

. CULTURA COMBINATÓRIA (2)

. CULTURA COMBINATÓRIA (1)

.posts recentes

. Triste notícia

. {191} Sarah Vaughan

. {190} Aretha Franklin

. {189} Nina Simone

. {188} George e Ira Gershw...

. {187} Miles Davis & John ...

. {186} Fabio Biondi

. {185} Vivaldi -- Inverno

. {184} Nus em arte

. {183} Bach / Gulda

. {182} Vieira da Silva

. {181} Retorno

. {180} Billie Holiday - "S...

. {179} E, ainda, música

. {178} Herberto Helder (8...

. {177} Socorro !!

. {176} Bach / Gulda / Jazz

. {175} Thelonious Monk

. {174} Encore B & B

. {173} Stabat Mater

. {172} Continuando Gershwi...

. {171} Dos irmãos Gershwin...

. {170}....

. {169} Não há pachorra !

. {168} Gershwin

. {167} Brel e Béjart

. {166} Novamente "À balda"...

. {165} Edgar Morin e a com...

. {164} India Song

. {163} Dois temas

. {162} Ne me quitte pas

. {161} Eugénio de Andrade ...

. {160} Herberto Helder (7...

. {159}A propósito da morte...

. {158} Zeca Afonso

. {157} General Delgado

. {156} Ballet (2)

. {155} Ballet (1)

. {154} Herberto Helder (6...

. {153} Relembrando "Casabl...

. {152} Camané

. {151} "Clair de Lune"

. {150} "I've Got Rhythm"

. {149} Luiza Neto Jorge

. {148} Dharma (11)

. {147} Caetano canta Amáli...

. {146} Ella Fitzgerald

. {145} Dharma (10)

. {144} Jimmy Smith - 2

. {143} Jimmy Smith

blogs SAPO

.subscrever feeds