Sexta-feira, 29 de Agosto de 2008

[98] Para WOLKENGEDANKEN e todos os interessados na matéria... (Dharma - 7)

Aviso à navegação : quem quiser seguir este "folhetim" terá que saltar entre este blog e o francês -- ver post [48] (mas como já veritiquei, pelo contador por países, que no meu blog francês tenho mais visitas de portugueses que de franceses, isso não deve constituir dificuldade de maior). E quem quiser seguir mesmo, terá também que ir ao blog de Wolkengedanken, o que será fácil recorrendo ao respectivo link na lista de links de blogs deste mesmo.

 

Indo à matéria.

Pelos vistos, o que começou por ser um percalço ( não conseguir escrever um comentário sem o apagar e, daí, escrever um post) tornou-se um modo. Pois que assim seja. O que começou como uma conversa a dois torna-se uma troca de impressões pública. Tudo bem !

 

Começando pelo livro : é esse mesmo. Até a capa tem o mesmo aspecto gráfico !

Quanto ao outro : trata-se de uma tradução do tibetano, mas a versão que eu tenho foi traduzida do americano. O título completo é : The Tibetan Book of the Dead ; the Great Liberation through Hearing in the Bardo.

Mas acho que o mais importante é mesmo aquele que tu tens.

 

Voltando ao tema filosofia versus religião, remeto-te de novo para o Lama Denys (post [21] do bl. fr.). No que me toca, foi fundamental a afirmação . "Não há credo, nem há dogma, nem há Deus". Ou seja , nada a ver com as três religiões do livro (ou reveladas). Mas tenho em conta a origem etimológica do termo : religare (que eu prefiro usar com traço de união : re-ligar). Neste momento, em que nem sequer nos conhecemos, o que é que me liga a ti : é o budismo (haverá outros aspectos de entendimento, comunicação de inconsciente a inconsciente, sei lá...). Mas o budismo é a nossa re-ligião/ligação.

 

O que é para mim : foi um encontro comigo mesmo. Foi o resultado, ou o termo, de uma "busca" que resultou de uma "crise" (tem que ser entre aspas, porque todos os termos são maus...). Quando "encontrei" o budismo (detesto os ismos, prefiro chamar-me búdico...) senti que toda a vida tinha sido búdico sem o saber ! E foi muito naturalmente que dei os passos seguintes (que creio que já te referi).

_________________________________________________________

Vou voltar ao teu post, para ver se deixei escapar alguma coisa, Até já...

________________________________________________________

 

O intervalo foi maior do que o que pensava. Entretanto meteu-se ver o teu novo post e comentá-lo. E depois foi o jantar e um pouco de telejornal. E mais isto e aquilo... Com a diferença horária entre a Áustria e Portugal, se calhar já não lês isto hoje. O que me chateia porque fico em pulgas para ver a tua reacção...

 

Creio que me facilitou considerar-me búdico o nunca ter sido católico. O que náo é muito usual num país de tradição e predominância católicas. Mas foi uma das minhas heranças paternas (a outra foi a política, onde, com as devidas adaptações dos tempos, guardo as tradições paternas -- ambos fomos presos, etc.,etc.). De resto -- é engraçado -- a minha total ausência de sentimento religioso facilita-me as relações com os católicos , mais até do que com os ex-católicos, porque não tenho nenhum passado de que tenha que me libertar.

 

Voltando à tua questão básica : se me perguntares se o budismo é sobretudo uma religião ou uma filosofia, a minha resposta é : é sobretudo uma filosofia de vida, uma sabedoria (termo de que gosto muito).

 

E com isto creio ter respondido a todas as tuas questões. Rezo ao Senhor (valha-me Deus...) para que ainda leias isto hoie !

 

:))))))))))))))))))))   Zé-Carlos

 

sinto-me: Com o "dever" cumprido
publicado por Transdisciplinar às 23:43
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.links

.tags

. todas as tags

.favorito

. [32] CULTURA COMBINATÓRI...

. [30] Conhecimento

. Ainda sobre o Dharma (2)

. Ainda sobre o Dharma

. Citando...

. FRAGMENTOS PARA UM DEBATE

. CULTURA COMBINATÓRIA (2)

. CULTURA COMBINATÓRIA (1)

.posts recentes

. Triste notícia

. {191} Sarah Vaughan

. {190} Aretha Franklin

. {189} Nina Simone

. {188} George e Ira Gershw...

. {187} Miles Davis & John ...

. {186} Fabio Biondi

. {185} Vivaldi -- Inverno

. {184} Nus em arte

. {183} Bach / Gulda

. {182} Vieira da Silva

. {181} Retorno

. {180} Billie Holiday - "S...

. {179} E, ainda, música

. {178} Herberto Helder (8...

. {177} Socorro !!

. {176} Bach / Gulda / Jazz

. {175} Thelonious Monk

. {174} Encore B & B

. {173} Stabat Mater

. {172} Continuando Gershwi...

. {171} Dos irmãos Gershwin...

. {170}....

. {169} Não há pachorra !

. {168} Gershwin

. {167} Brel e Béjart

. {166} Novamente "À balda"...

. {165} Edgar Morin e a com...

. {164} India Song

. {163} Dois temas

. {162} Ne me quitte pas

. {161} Eugénio de Andrade ...

. {160} Herberto Helder (7...

. {159}A propósito da morte...

. {158} Zeca Afonso

. {157} General Delgado

. {156} Ballet (2)

. {155} Ballet (1)

. {154} Herberto Helder (6...

. {153} Relembrando "Casabl...

. {152} Camané

. {151} "Clair de Lune"

. {150} "I've Got Rhythm"

. {149} Luiza Neto Jorge

. {148} Dharma (11)

. {147} Caetano canta Amáli...

. {146} Ella Fitzgerald

. {145} Dharma (10)

. {144} Jimmy Smith - 2

. {143} Jimmy Smith

blogs SAPO

.subscrever feeds